terça-feira, 4 de outubro de 2016

DIFERENÇA ENTRE GIMNOS E ANGIOS?

   Angiosperms

                               Gymnosperms

Definition Seed-producing flowering plants whose seeds are enclosed within an ovary. Seed-producing non-flowering plants whose seeds are unenclosed or “naked.”
Seeds Enclosed inside an ovary, usually in a fruit. Bare, not enclosed; found on scales, leaves or as cones.
Life Cycle Seasonal (die during autumn/fall). Evergreen
Tissue Triploid (endosperm produced during triple fusion) Haploid (endosperm produced before fertilization)
Reproductive system Present in flowers; can be unisexual or bisexual Cones; unisexual
Leaves Flat scalelike , needle-like
Cotyledons Present; single (monocots) or in a pair (dicots) Absent
Wood Hardwood Softwood
Periniality Non-perinnial Perinnial
Kingdom Plantae Plantae
Domain Eukarya Eukarya
Reproduction Mostly rely on animals. Mostly rely on wind.
Uses Medications , food, clothing, etc... Paper, Lumber , etc...

REPRODUÇÃO DAS BRIÓFITAS E PRODUÇÃO DE FRUTOS PELAS ANGIOSPERMAS (EXERCÍCIOS RESOLVIDOS)


CICLO DE VIDA DAS BRIÓFITAS
Ciclo de vida (metagênese) de um musgo (Briófita)

O esporângio contido na cápsula do esporófito produz os esporos os quais ao cairem num local adequado, germinam e produzem um protonema; esse protonema produz gametófitos (masculino e feminino) que desenvolvem-se e crescem (mitose). Os gametófitos, são organismos haplóides e produzem gametas por divisão mitótica. 
O gametófito masculino produz no anteridio os anterozóides (gameta masculino) e o gametófito feminino produz nos arquegômios o gameta feminino a oosfera. Como o gameta masculino desses vegetais é flagelado, necessita de água para nadar em direção ao arquegônio onde ocorre a fertilização da oosfera (fecundação).
Logo, essa planta necessita de um ambiente úmido e de água para o anterozóide nadar até a oosfera. Da fecundação da oosfera pelo anterozóide, origina-se um zigoto (diplóide) que atravéz do pé retira nutrientes da placenta do gametófito. 
Tão logo o esporófito produza esporos (por meiose no esporângio contido dentro da cápsula) o esporófito seca e morre, sendo portanto passageiro. Enquanto isso o gametófito feminino permanece (gametófito duradouro) indo produzir novamente outra oosfera que será fecundada por um anterozóide tão logo as condições ambientais sejam favoráveis. 




PRODUÇÃO DE FRUTOS PELAS ANGIOSPERMAS 

O desenvolvimento de um fruto depende das substâncias produzidas na fotossíntese, que chegam até ele transportadas pelo floema. De um ramo de pessegueiro, retirou-se um anel da casca (anel de Malpighi), ou se fizermos cortes não contínuos ou conforme mostra o esquema a seguir.



Responda e justifique:

a) O que deve acontecer com os pêssegos situados no galho, acima do anel de Malpighi, em relação ao tamanho das frutas e ao teor de açúcar?

Os frutos serão maiores e mais doces.

b) Justifique sua resposta.

Serão maiores pois os cortes impedirão parcialmente a volta dos açúcares produzidos nas folhas próximas ao fruto assim apresentarão uma maior concentração de carboidratos, o que os torna mais doces e saborosos.

Se cortamos toda a casca ao redor de um tronco de uma planta (anel de Malpighi) como mostra o esquema abaixo?


Ao efetuarmos um corte ao redor do tronco de uma plnata interromperemos o fluxo de seiva elaborada e consequentemente o aporte de carboidratos que mantém as células vivas; desta formas se as células dos tecidos abaixo do corte não receberem mais nutrientes morrerão e a árvore (indivíduo) como um todo morrerá e secará. O corte no "anel de Malpighi acaba por seccionar os vasos do floema que transportam a seiva elaborada com os fotossintatos (carboidratos: açúcares, amido etc) das folhas para toda a planta, assim, privada desses compostos a planta morrerá.  





Fonte


Livro texto do segundo ano.

Para mais questões e material para discussão em aula viste a página:
http://www2.ufscar.br/vestibular/2001/prova_geo_fis_bio
http://epambarba.blogspot.com.br/2013_02_01_archive.html



EVOLUÇÃO DAS PLANTAS

EVOLUÇÃO DAS PLANTAS

A evolução da vida no planeta Terra iniciou logo após sua formação e esfriamento, com a água trazida por cometas e asteróides e aquela formada pelo próprios gases do nosso planeta, assim, se tentarmos colocar em ordem os fatos que teriam acontecido teriamos uma longa lista de eventos importantes e entre eles os seguintes:
Moléculas orgânicas
Coacervados
Ácidos nucléicos
Célula procariótica heterotrófica
Célula procariótica autotrófica
Estromatólitos
Célula eucariótica
Eventos de endossinbiose
Algas verdes unicelulares
Algas verdes pluricelulares
Briófitas
Tecidos 
Pteridófitas
Semente
Gimnospermas
Flores e frutos
Angiospermas

A colonização da terra firme estava associada à evolução de estruturas para obter água e minimizar a sua perda. 
Os requisitos para um organismo fotossintetizante são simples: luz, água, gás carbônico, e alguns minerais (sais). No abiente terrestre, a luz, o oxigênio e o gas cargônico são abundantes, os quais circulam mais livremente na atmosfera do que na água; e o solo é geralmente rico em sais minerais. O fator crítico para a transição para o ambiente terrestre (para a vida ao ar livre) é a água. 
Os animais terrestres devido a sua mobilidade podem procurar água da mesma maneira que buscam o seu alimento, os fungos embora imóveis permanecem em grande parte abaixo da superfície do solo ou dentro de qualquer que seja o material orgânico úmido do qual estejam se alimentando. As plantas utilizam uma extragégia evolutiva alternativa: a raiz fixa a planta ao solo e coleta água e sais necessários para a manutenção do corpo da planta e para a fotossíntese, enquanto o caule serve de suporte para os principais orgãos fotossintetizantes, as folhas. Uma corrente contínua de água se move para a parte superior da planta, a partir das raízes, depois pelo caule e pelas folhas sendo então eliminada para fora como vapor de água. A epiderme, camada mais externa de células que reveste todas as porções aéreas da planta diretamente envolvidas com a fotossíntese, é recoberta por uma cutícula, que é provida de cera e retarda a perda de água pelos tecidos. Contudo a cutícula tende a evitar as trocas gasosas entre a planta e o ar circundante as quais são necessárias tanto para a fotossíntese quanto para a respiração. A solução para este dilema (evitar a perda e deixar a planta respirar e executar as trocas gasosas com o meio) foi resolvido pelos estômatos. Os estômatos são constituídos de um par de células epidermicas especializadas (células-guarda) com uma pequena abertura entre elas. Os estômatos abrem-se e fecham-se em resposta a sinais ambientais e fisiológicos ajudando assim a planta a manter o balanço entre a perda de água e suas necessidades de oxigênio e gás carbônico.
Outros problemas  que tiveram que ser resolvidos para habiter em terra firme (e suas soluções):
a maior quantidade de radiação (luz e luz ultravioleta (UV)) na atmosfera do que dentro da água, (epiderme com cuticúla e ceras)
temperatura mais variável ao ar livre do que dentro da água (estômatos e tecidos de preenchimento).
transporte de água e sais (já que dentro dágua cada célula absorvre o que necessita) (vasos condutores de seiva).


ANGIOSPERMAS DA REDENÇÃO (MIMO DE VÊNUS: Hybiscus sp)

EXERCÍCIOS

 AP prática

1) COLETE UMA FLOR OU FAÇA UM ESQUEMA DESSA FLOR (ACIMA) E COLOQUE OS NOMES EM SUAS ESTRUTURAS E DÊ SUAS FUNÇÕES.






DIVISÃO ANGIOSPERMAS - PLANTAS COM FLORES E FRUTOS

 ANGIOSPERMAE
OU
 MAGNOLIOPHYTA 
OU 
ANTHOPHYTA

As ANGIOSPERMAE ou angiospermas (do grego:  γγος = ângios= urna, vaso + σπέρμα = sperma: semente,  em referências a suas sementes estarem dentro de uma estrutura fechada (o ovário da flor).  São plantas ESPERMATÓFITAS (FANERÓGAMAS) cujas sementes são protegidas por uma estrutura denominada fruto que é o OVÁRIO fecundado e desenvolvido.
Também são conhecidas por MAGNOLIOFITAS ou ANTHOFITAS.  Constituem o maior, mais bem sucedido e o grupo mais derivado de plantas a surgir em nosso planeta. 
As angiospermas distinguem-se das gimnospermas por algumas sinapomorfias (características derivadas) como:

1) FLORES (conjunto de folhas modificadas com função reprodutivas, protetivas e como atração de polinizadores)
2) ENDOSPERMA SECUNDÁRIO (originado da fecundação dos núcleos polares, por um dos anterozóides = núcleos espermáticos formando um tecido triplóide)
3) FRUTO originado do desenvolvimento da parede do ovário depois de fecundado. 

SINAPOMORFIAS DAS ANGIOSPERMAS
FLOR
ENDOSPERMA SECUNDÁRIO
FRUTO
(Fonte da figura: modificado do Google imagens)

ESQUEMA DE UMA FLOR MOSTRANDO SUAS PARTES 

CONJUNTO DE PÉTALAS FORMA A COROLA DA FLOR
FUNÇÃO:
1) PROTEÇÃO DAS ESTRUTURAS REPRODUTIVAS INTERNAS DA FLOR
2) ATRAÇÃO DE POLINIZADORES

CONJUNTO DE SÉPALAS FORMA O CÁLICE DA FLOR
FUNÇÃO:
PROTEÇÃO DA FLOR QUANDO AINDA JOVEM (BOTÃO) 

ANTERA, CONETIVO E FILETE FORMA O ESTAME. AO CONJUNTO DOS ESTAMES CHAMAMOS ANDROCEU (ÓRGÃO REPRODUTIVO MASCULINO DA FLOR). 
FUNÇÃO: PRODUÇÃO DE GRÃOS DE PÓLEN

ESTIMA, ESTILETE E OVÁRIO FORMA O CARPELO DA FLOR. AO CONJUNTO DE CARPELOS CHAMAMOS DE GINECEU (ÓRGÃO REPRODUTIVO FEMININO DA FLOR).
FUNÇÃO: PRODUÇÃO DE ÓVULOS.

                 

DUAS GRANDES CLASSES DE ANGIOSPERMAS:
DICOTILEDÔNEAS E MONOCOTILEDÔNEAS
 DESTINO DO GRÃO DE PÓLEN E DA OOSFERA NAS ANGIOSPERMAS

(fonte da figura CAMPBEL, N. Biologia, PoA, ARTMED, 2010)
 REPRODUÇÃO DAS ANGIOSPERMAS

ANGIOSPERMAS IMPORTANTES EM NOSSAS VIDAS



















ESPORÓFILOS DE CYCADACEAE

 ESPORÓFILOS DE UMA GYMNOSPERMAE
CYCADACEAE

ESPORÓFILO FEMININO DE Cycas revoluta JÁ COM AS SEMENTES (NUAS)
 PORTO ALEGRE
  PLANTA DE Cycas revoluta FOTOGRAFADA EM PORTO ALEGRE. 

PLANTA FEMININA DE Cycas revoluta 
(NOTE NO MEGASPORÓFILO O MEGÁSPORO FERTIL (SEMENTE) COM ALGUNS MEGÁSPOROS ABORTADOS).

  
 PLANTA Cycas circinalis MOSTRANDO OS MEGASPORÓFILOS, PARQUE FARROUPILHA, PORTO ALEGRE. 

 ESPORÓFILO MASCULINO (microsporófilo) DE Cycas revoluta
(Fonte: http://jardin-mundani.blogspot.com.br/2014/07/una-anciana-japonesa-de-300000000-anos.html)
ESPORÓFILO (microsporófilo) DE UMA Cycas revoluta MOSTRANDO OS ESPORÂNGIOS.
(Fonte: http://jardin-mundani.blogspot.com.br/2014/07/una-anciana-japonesa-de-300000000-anos.html)



Cycas terryana (megasporófilo com semente) NOVA ESPÉCIE DE CYCADACEAE AUSTRALIANA.
(Fonte: http://www.cycad.org/documents/descriptions/Cycas/Cycas-terryana.pdf)



 

GYMNOSPERMAE: ARAUCARIA ANGUSTIFOLIA - PINHEIRO BRASILEIRO

CICLO DE VIDA DE UMA PLANTA DE ARAUCÁRIA
Araucaria angustifolia (Bertol.) Kuntze 1898 
(PINHEIRO BRASILEIRO)

Observe o ciclo de vida do pinheiro e leia o capitulo do livro que fala sobre a reprodução das gimnospermas. Faça os exercícios propostos no final do capitulo.

(Fonte da figura: modificado da internet)

DIVISÃO GIMNOSPERMA

COM O CICLO DE VIDA DE UM PINHEIRO - Pinus elliottii (Engelm.)
(como vimos em aula)
(foto e montagem tosca) 




 DIVISÃO GYMNOSPERMAE
 γυμνόσπερμος = Gymnospermos
(γυμνόσ +σπέρματα, σπερμος = gimnospermas) 

As GIMNOSPERMAS são um grupo de plantas que apresentam como característica diagnóstica (ou apomórfica) a presença de sementes nuas, i.e., sem a proteção do fruto. Incluem as CONÍFEROFITA, as CYCADOFITA, as GNETOFITA, e as GINKGOFITA.

O termo GYMNOSPERMAE vem da palavra grega γυμνόσπερμος: γυμνόσ = GYMNÓS = nu, nua; mais a palavra: σπέρματα, σπερμος = spermata = semente
Desta forma, as duas palavras unidas significam SEMENTES NUAS
As sementes das gimnospermas desenvolvem-se na superfície de uma folha modificada (esporófilo) que está ligada a um cone ou estróbilo (coníferas).
Essa condição as diferencia das angiospermas que tem o óvulo totalmente fechado dentro do ovário da flor.

As divisões: GIMNOSPERMAE e ANGIOSPERMAE constituem as ESPERMATÓFITAS PLANTAS COM SEMENTE.

GRANDE NOVIDADE EVOLUTIVA:
SEMENTE  

(Figuras modificadas de diversos autores)


CICLO DE VIDA DE PINHEIROS 
ESTRÓBILO FEMININO (MEGASTRÓBILO) DE Pinus eliottii

ESTRÓBILO DO LATIN CIENTÍFICO ESTROBILUS DO GREGO STRÓBILOS = O QUE SE VOLTA, O QUE SE TORCE; TURBILHÃO, "PINHA".

 ESTRÓBILO MASCULINO, ESTRÓBILO FEMININO E A SEMENTE NUA (PINHÃO) DE
Araucaria angustifolia (Bertol.) Kuntze
ESTRÓBILO MASCULINO (MICROSTÓBILO)
DE Araucaria angustifolia  (Bertol.) Kuntze

ciclo de vida de uma conífera generalizada (como visto em aula)

Alguns autores chamam de flores modificadas as pinhas, pois como as Angiospermas os microsporófilos e megasporófilos são folhas modificadas para produção de "esporos" que irão germinar e formar os gametófitos que por sua vez produzirão em seus tecidos reprodutivos (esporângios) os gametas masculios e femininos.  Todavia não ha unanimidade nessa prática (de nomear os estróbilos ou "pinhas" como flores modificadas.


Ginkgo biloba 
(Parque Farroupilha)
Ginkgo biloba 
(Parque Farroupilha)
Ginkgo biloba 
(Parque Farroupilha)
Ginkgo biloba 
(Parque Farroupilha)
Ginkgo biloba 
(Parque Farroupilha)


Ginkgo biloba Linnaeus, 1771 (Ginkgophyta)

Cycas circinalis 
 Estróbilo masculino
 Cycas circinalis 
 Estróbilo masculino
 Cycas circinalis 
 Estróbilo masculino
 Cycas circinalis 
 Estróbilo masculino

Cycas circinalis 
 Estróbilo masculino
 Cycas circinalis
Estróbilo masculino 
Cycas revoluta
Estróbilo feminino