quinta-feira, 19 de maio de 2016

ANEXOS EMBRIONÁRIOS II - VITELO E ALANTÓIDE

ANEXOS EMBRIONÁRIOS

VITELO



O vitelo (do Latim: vitellus = gema do ovo) é uma bolsa revestida por membrana que acumula reserva. O saco vitelínico é responsável pelo armazenamento de nutrientes, como lipoproteínas, vitaminas e colesterol. É o primeiro anexo embrionário que surge e está presente em peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos. Nos répteis e nas aves o saco vitelínico é bem desenvolvido. Enquanto que nos mamíferos é reduzido uma vez que a fecundação e o desenvolvimento é dentro do corpo da mãe, e a placenta nesse caso é responsável pela nutrição do embrião, e também pela produção de hemácias (eritrócitos = células vermelhas do sangue) nos primeiros estágios da vida.



ALANTÓIDE



É uma pequena bolsa ricamente vascularizada, encontrada apenas em répteis, aves e mamíferos monotremados (que colocam ovos = Equidna e Ornitorrinco). Origina-se de uma evaginação do intestino primitivo.
Apresenta as seguintes funções:
1) em répteis e aves - armazenar os resíduos nitrogenados formados pelo embrião durante o desenvolvimento,
2) promover as trocas gasosas do embrião com o meio, e
3) promover a absorção do cálcio da casca do ovo para a formação do esqueleto. A descalcificação da casca facilita seu rompimento no momento da eclosão do filhote.


Nos mamíferos, isso não ocorre, pois o alantóide junta-se com o saco ou vesícula vitelínica, formando o cordão umbilical, que elimina as excretas nitrogenadas do sangue do embrião para o sangue da mãe através da placenta.


Nos mamíferos, os vasos sanguíneos do alantóide auxiliam na formação da placenta.


Os répteis, as aves e os mamíferos são amniotas e alantoidianos, por formarem âmnion e alantóide. Os peixes e os anfíbios são anamniotas e analantoidianos, por não formarem âmnion nem alantóide, pois seu desenvolvimento é na água e seus resíduos tóxicos podem ser liberados diretamente no meio ambiente.

0 comentários:

Postar um comentário