terça-feira, 4 de outubro de 2016

ORIGEM DAS METÁFITAS

ORIGEM DAS PLANTAS TERRESTRES 


Segundo evidências morfológicas e moleculares, todas as plantas terrestres descendem de um grupo de algas verdes, as Charophytas e Clorophytas (=carófitas e clorófitas ou clorofíceas reunidas).
Grupos basais (Proctotistas (Talófitas)) e Metáfitas (plantas terrestres) compartilham muitas características entre elas as seguintes:

1) As plantas terrestres compartilham com as algas verdes os tipos de clorofila (A e B) e o beta-caroteno.
2) Algas verdes e plantas terrestres apresentam cloroplasto (uma organela) que apresenta membranas chamadas Tilacóides que contém clorofila, responsável pela fotossíntese.
3) Presença de celulose: carófitas e plantas apresentam conteúdo de celulose na parede celular muito semelhante (20 a 25% de celulose).
4) A divisão celular nas algas verdes e nas plantas é muito similar, ambos usam microtúbulos para produzir a placa celular no momento da divisão da célula em duas células filhas.
5) Genes nucleares e RNAs são similares entre as algas verdes e plantas.
6) Algas verdes e plantas terrestres apresentam reprodução do tipo METAGÊNESE ou  ALTERNÂNCIA DE GERAÇÕES, onde há uma fase haplóide (n) chamada de GAMETÓFITO  e uma fase diplóide (2n) chamada de ESPORÓFITO.

Ciclo metagênico ou alternância de gerações 
(ciclo haplodiplobiôntico) nos metáfitas.

 
 Reprodução das algas verdes através da metagênese
ou alternância de gerações (ciclo haplodiplobiôntico).


Nota sobre a Clorofila e β-caroteno 

A  clorofila foi descoberta por Joseph Bienaimé Caventou (químico) que era professor na Escola de Farmácia em Paris, enquanto colaborava com Pierre-Joseph Pelletier (químico) em um laboratório parisiense. Através do uso pioneiro de solventes orgânicos fracos, isolou um grande número de ingredientes ativos a partir das plantas.
Entre os produtos isolados estava a clorofila, a estricnina, quinina, colchicina e a cafeína.
Pelletier sugeriu o nome de CHLOROPHYLLA a substância de cor verde (PIGMENTO FOTOSSINTÉTICO) que podia ser extraída das folhas dos vegetais usando o alcool etílico como solvente.
Do grego:  
χλωρός = chlorós = verde  +  φύλλον = phýllon = folha


DIFERENÇAS ENTRE OS TIPOS DE CLOROFILA (A e B)


β-caroteno

Por estarem continuamente expostas ao sol as plantas necessitam de proteção contra os raios nocivos (do tipo UV), assim, ao longo da evolução alguns grupos de organismos (algas verdes e metáfitas) através da seleção natural, produziram β-caroteno (beta-caroteno) usando-o como proteção contra os raios ultravioletas. O β-caroteno é um antioxidante (molécula capaz de inibir a oxidação de outras moléculas ou compostos químicos). As reações de oxidação podem produzir radicais livres que por sua vez podem dar início a reações em cadeia. Quando essas reações ocorrerem no interior de células, podem danificá-las ou levar a sua morte. Os antioxidantes interrompem estas reações em cadeia eliminando os radicais livres intermediários e inibindo outras reações de oxidação. Em nosso organismo o β-caroteno inibe radicais livres, prevenindo  o envelhecimento, beneficiando a visão noturna, aumentando a imunidade, fornecendo elasticidade à pele, aumentando o brilho dos cabelos e o fortalecimento das unhas, além de atuar no metabolismo de gorduras. Quando transformado em vitamina A, em nosso organismo, auxilia na formação da melanina, pigmento responsável por proteger a pele dos raios ultravioleta. As principais fontes de β-caroteno são: cenoura, abóbora, beterraba, mamão, manga e a batata doce. Em quantidades menores, pode ser encontrado nos vegetais folhosos como couve, repolho, espinafre, agrião e brócolis.  


0 comentários:

Postar um comentário